Alegria e emoção marcam a formatura do Viver Melhor em Mogi Mirim

O dia 14 de maio de 2022 jamais será esquecido pelos 120 idosos do Viver Melhor, projeto conduzido pelo Instituto Família Barrichello na cidade de Mogi Mirim. Nessa data aconteceu a formatura e encerramento do terceiro ciclo de atividades na cidade, no centro Cultural Professor Lauro Monteiro de Carvalho e Silva. A gerente e coordenadora de projetos, Paula Asbahr, destacou a importância desse momento e o empenho de toda a equipe para conseguir vencer os desafios impostos pela pandemia da Covid-19.

“A formatura é a renovação das nossas forças. Viemos de períodos muito difíceis e nós estávamos precisando desse ‘gás’, e esse momento nos trouxe isso: a vontade e o amor para seguirmos em frente com muito entusiasmo. O início desse ciclo foi marcado por muitas dúvidas por conta da pandemia. Fizemos um protocolo muito rígido e que continua sendo seguido mesmo com as flexibilizações porque estamos trabalhando com o público idoso. A cerimônia foi para coroar o trabalho de excelência que acontece em cada núcleo”, falou a coordenadora.

Ao todo, o programa atende 234 pessoas, a partir dos 50 anos de idade, em quatro núcleos: Ginásio Maria Paula (Vila Dias), Clube São José, Acojamba (Associação Comunitária Jardim Maria Beatriz) e Ginásio do Tucurão. A aluna Fátima Rita Stupp, que foi oradora do Clube São José na formatura, não esconde a emoção de fazer parte do projeto.

“Eu participo do Viver Melhor desde a primeira aula e a partir daquele dia eu me apaixonei pelo projeto. Essa formatura é um momento de vitória, de agradecimento e de gratidão a todos os professores e coordenadores, principalmente depois de tudo o que passamos com a pandemia, os desafios das aulas online, em que a gente nem estava acostumado a mexer tanto na internet, no YouTube e tudo mais. Eles (professores) nos ajudaram muito com as aulas e com dicas, e quando retornamos presencialmente foi a maior alegria. Eu nunca imaginei que com 68 anos eu ia participar de uma formatura (risos). Estou muito feliz por tudo isso”, disse.  

Todas as atividades têm o objetivo de contribuir com a melhora da qualidade de vida dos idosos e o desenvolvimento físico, cognitivo, motor e socioafetivo deles. A professora Yvi Sbergue ressalta a importância do trabalho realizado nos núcleos ao longo desse período do projeto.

“Para nós, professores, esse ciclo foi marcado pela superação por toda essa fase da pandemia que passamos e por conseguirmos estar com os alunos novamente, proporcionando atividades físicas e bem-estar para eles. A sensação de ver a formatura acontecendo, de ver todos aqui unidos, comemorando a vida, é indescritível. Eles se preocuparam muito com as outras pessoas (filhos e netos) e às vezes acabam deixando o autocuidado de lado, então esse é muito momento também de agradecer por eles estarem cuidando deles”, contou.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email