Educador do Viver Melhor destaca caráter transformador do projeto 

Marcelo Floriano, que atua em Mogi Mirim desde 2020, enaltece mudanças e experiências com os idosos 

Atuar em prol do desenvolvimento físico, cognitivo, motor e socioafetivo dos idosos é a missão do Viver Melhor, projeto realizado pelo Instituto Família Barrichello em quatro núcleos espalhados por Mogi Mirim, cidade do interior paulista. A proposta já transformou a vida de centenas de pessoas através de uma metodologia que é dividida em quatro pilares – trabalho neuromotor, força muscular, cardiovascular e flexibilidade. Renovar os hábitos e melhorar a qualidade de vida, porém, não é um privilégio ao alcance apenas dos alunos. Marcelo Corrêa Floriano é exemplo disso. 

Professor de musculação, personal trainer e educador no Instituto Família Barrichello, Marcelo tem 41 anos e atua no projeto Viver Melhor desde 2020. Ele e a professora Yvi Sbegue são responsáveis pelas atividades realizadas no Clube São José e no Acojamba (Associação Comunitária Jardim Maria Beatriz) – as aulas em Mogi Mirim também acontecem nos ginásios Maria Paula (Vila Dias) e Tucurão. 

Marcelo Corrêa Floriano, professor de musculação, personal trainer e educador no Instituto Família Barrichello

“Entrar no Viver Melhor foi algo transformador. Vejo não apenas mudanças físicas, mas sim transformação de vidas. E essas mudanças começam por mim: aprendi a ouvir mais e saber que tudo tem o tempo correto”, afirmou. 

Marcelo ingressou no projeto em um período delicado devido à pandemia da Covid-19. Com os idosos no grupo de risco da doença, os cuidados foram redobrados. O empenho foi premiado com o advento da vacina e o consequente retorno das atividades presenciais. “Acredito que a mudança maior aconteceu nesse período em que não tivemos as aulas presenciais. A volta foi um misto de sentimentos, não significou apenas uma melhora na vida dos idosos. Foi algo que nos trouxe um crescimento pessoal. No meu caso, é uma situação que mexeu principalmente com a minha saúde emocional”, contou o educador. 

De lá para cá, Marcelo passou a valorizar ainda mais o trabalho e a convivência com os alunos do Viver Melhor. Além dos ganhos gerados pela metodologia, a interação entre os alunos favorece a criação de novos vínculos e o comportamento ativo. 

“É realmente transformador. Estar com eles (idosos) às terças e quintas-feiras são momentos únicos. Os projetos sociais, independente do público-alvo, são importantíssimos para sociedade em geral. Além de transformar vida de quem participa como aluno, transforma ainda mais a vida de quem atua como educador. O trabalho que o Instituto Família Barrichello faz é incrível, espero que possamos ter mais projetos para transformar cada vez mais vidas”, concluiu o professor. 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email